h1

Os Vingadores e as “imparcialidades” da Crítica

02/05/2012

Tem umas críticas negativas sobre Os Vingadores que basicamente só estão aí para afirmar o óbvio: quem nunca gostou de Os Vingadores não gostou do filme sobre Os Vingadores. Oh! Não me diga!

Isso me lembra da resenha do Rubens Ewald Filho sobre O Grande Truque, em que ele justifica não ter gostado do filme pura e simplesmente porque nunca foi um fã de mágica! Muito bacana, seu Rubens. É referente a isso que, acredito, algumas pessoas reclamam da falta de uma suposta “imparcialidade” em determinadas críticas de cinema. Existe a clássica “imparcialidade” utópica e babaca de se exigir que o cara escreva um texto como se fosse um robô, apontando todos detalhes positivos e negativos de uma obra de arte e suprimindo qualquer emoção em relação ao que se está discutindo. Isso não só é impossível, como seria, na verdade, pouco interessante se fosse real, uma vez que a graça do mundo está nas diferentes interpretações que cada um constrói a partir de seus respectivos e parciais pontos de vista. Mas existe outra imparcialidade: aquela que deveria existir, mas falta a certos críticos que, às vezes, como nesse caso do Rubens, tentam justificar a incompetência de um filme apenas levando em conta um gosto particular. Não gosto de X, e filme Y possui X, portanto não gosto de filme Y. Não, não. Assim não! O Rubens foi parcial no sentido em que ele não gostou do filme porque o filme tratou de um tema que ele não gosta. Nesse aspecto, ele deveria, sim, ter sido imparcial. Com essa imparcialidade eu concordo, e considero não só justo como necessário acusar sua ausência. E não é complicado empregá-la. Eu, por exemplo, nunca curti baseball – aliás, acho um esporte muito tolo – mas não deixei que isso me impedisse de gostar de O Homem Que Mudou o Jogo, e não encontrei a menor dificuldade no caminho.

Então aparece uma pessoa que diz não gostar de Os Vingadores porque… não gosta de Os Vingadores. Porra! É a mesma coisa que alguém que não gosta de peixe estar na condição de crítico gastronômico de um prato de sushi:

YOUR ARGUMENT IS INVALID.

4 comentários

  1. queria que o hulk levanta-se o martelo do thor que nem no filme antigo, aii sim o filme ia se loko


    • Maycon, de qual filme antigo você está falando?


  2. Hehehe
    Demais, cara. Esses seus pontos ficaram na medida. Tá bem assim o espírito da coisa. Ainda mais quando o pessoal leva a coisa praquela tendência tosca de “O Bom Cinema” (onde Drama tem sempre a vantagem – especialmente por “Ser real”) rs.

    E acho que o Maycon mencionou um dos filmes dos anos 80, do Hulk fisiculturista “super fortão e assustador” quebrando barra de ferro e pintado de verde rs
    Se não for pra rir, jamais assista! hah


  3. Legal teu post. Eu e um amigo assistimos e escrevemos sobre alguns aspectos do filme aqui: http://fantasticocenario.com.br/2012/04/30/dissecamos-os-vingadores/ passa lá e dá uma olhada. Abraço!
    PS.: Ainda bem que o Hulk não conseguiu levantar o martelo. Não era pra conseguir mesmo.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: