h1

Vencedores do Oscar 2013

25/02/2013

YES! Argo venceu e esse foi o ano em que mais acertei vencedores desde que comecei a brincar de adivinho do Oscar. Foram 18 acertos entre 24 categorias, algumas cheias de incertezas.

MELHOR FILME

Argo (Ben Affleck, George Clooney, Grant Heslov)

Previsto corretamente. Haters gonna hate. Grant Heslov parece que não dorme há séculos, considerando suas olheiras. Muito legal ele ter citado Affleck como diretor do filme várias vezes. E Affleck estava visivelmente emocionado e sem saber o que falar ao agradecer o prêmio. George Clooney, simpático e sábio, dispensou o microfone, sabendo que a noite era de Affleck e não dele.

MELHOR DIREÇÃO

Ang Lee, por As Aventuras de Pi

Errei. Não deveria ser tão surpreendente. Imaginei que se Spielberg não levasse, Haneke ficaria com a graça, mas parece que a teoria de que ambos dividiriam votos abrindo caminho para Ang Lee de fato procedeu.

MELHOR ATOR

Daniel Day-Lewis, por Lincoln

Acertei. Ver Day-Lewis recebendo sua terceira estatueta pelas mãos de ninguém menos que Meryl Streep foi certamente o maior momento da noite.

MELHOR ATRIZ

Jennifer Lawrence, por O Lado Bom da Vida

Errei. Era a favorita e de fato entrega uma performance forte e imponente em O Lado Bom da Vida, mas eu preferia mil vezes o trabalho da veterana Emmanuelle Riva no devastador Amor. E como comentado no post anterior, me parecia que ela venceria. Lawrence tropeçando no próprio vestido ao subir as escadas do palco para receber o prêmio foi algo bastante desconcertante. Coitadinha. Ela realmente não esperava vencer.

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Christoph Waltz, por Django Livre

Acertei. Primeiro prêmio da noite. Começar acertando logo uma categoria tão imprevisível quanto essa me deixou bem empolgado, e a maioria das vitórias seguintes justificou minha empolgação. Resta saber se Waltz estava realmente super emocionado ou simplesmente tentando ser engraçado sem ter sido bem sucedido.

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Anne Hathaway, por Os Miseráveis

Acertei. Anne Hathaway conseguiu fazer o pior discurso da noite, num momento mais vergonha alheia que o subsequente tropeço de Jennifer Lawrence. Aquele “It came true” foi cafonésimo. É incrível como a atriz que imitou Hathaway nesse vídeo paródia conseguiu captar a exata essência do que a dita cuja acabou de fato fazendo no seu discurso.

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Chris Terrio, por Argo

Acertei. Quando anunciaram o vencedor, a subsequente vitória de Argo como melhor filme ficou ainda mais evidente.

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Quentin Tarantino, por Django Livre

Errei. Não deveria, mas fiquei surpreso. Eu realmente tinha um feeling muito forte por Michael Haneke aqui. Tarantino ganhando foi legal, o discurso dele foi bacana.

MELHOR MONTAGEM

William Goldenberg…

Quem apresentou essa categoria demorou consideráveis segundos para citar o nome de Goldenberg e depois o filme pelo qual concorria. Fiquei tenso até escutar “Por Argo!” Acertei.

MELHOR FOTOGRAFIA

Claudio Miranda, por As Aventuras de Pi

Acertei. Até um dia antes de lançar minhas apostas, senti uma tendência de vitória para Roger Deakins, mas voltei atrás e voltei minha atenção para As Aventuras de Pi, que de fato tem uma fotografia linda – e muitas vezes esse adjetivo pesa mais na cabeça dos votantes. E Claudio Miranda é uma figura.

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

Rick Carter, por Lincoln

Errei. Maior surpresa da noite. Ainda mais surpreendente do que aquilo que aconteceu na categoria de edição de som (e que explicarei quando chegarmos lá). Elogiei a direção de arte de Lincoln na minha crítica sobre o filme, mas justamente por ela ser discreta e não chamar atenção para si. É estranho que tenha ganhado, ainda mais concorrendo com filmes mais visualmente atraentes como Anna Karenina e O Hobbit.

MELHOR FIGURINO

Jacqueline Durran, por Anna Karenina

Acertei. Segue a lei universal de filmes de época ganhando aqui.

MELHOR MAQUIAGEM

Julie Dartnell e Lisa Westcott, por Os Miseráveis

Acertei. Fiquei feliz por amarelar na aposta em O Hobbit e trocar meu voto.

MELHOR TRILHA SONORA

Mychael Danna, por As Aventuras de Pi

Acertei. Vitória merecida para um dos melhores compositores menos conhecidos (até agora). Chamaram o elenco principal de Chicago para apresentar a categoria. Quando Richard Gere abriu o envelope e mostrou o conteúdo para Renée Zellweger, foi patético vê-la não conseguir ler o vencedor, de tanto botox que meteu na cara. Percebendo a gafe, Queen Latifa espiou o que estava escrito e deu aquele berro anunciando “Life of Pi, Mychael Danna!”

MELHOR CANÇÃO

“Skyfall”, de Adele e Pau Epworth para 007: Operação Skyfall

Acertei. Já estava na hora de um filme do 007 ganhar nessa categoria. Todo o brilho (e baita voz) de Adele ajudou isso a acontecer. A canção ser excelente também. E Adele fez o melhor discurso da noite.

MELHOR EDIÇÃO DE SOM

Empate!

Quando Mark Wahlberg, acompanhado do urso TED, anunciou que havia acontecido um empate, todo o planeta jurou que era uma piada. Wahlberg contribuiu para isso ao não sair do personagem quando leu “It’s a tie”. Um dos melhores momentos da noite.

Venceram Paul N. J. Ottosson por A Hora Mais Escura, e a dupla Karen M. Baker e Per Hallberg responsável por 007: Operação Skyfall. Acertei por ter apostado em Skyfall, e fiquei ainda mais feliz por A Hora Mais Escura ter vencido também. Obs: Per Hallberg parece o Rick Wakeman.

MELHOR MIXAGEM

Andy Nelson, Mark Paterson e Simon Hayes por Os Miseráveis

Acertei. Nenhuma surpresa aqui. A mixagem de Os Miseráveis é realmente sensacional.

MELHOR EFEITOS VISUAIS

Bill Westenhofer, Donald Elliott, Erik De Boer e Guillaume Rocheron por As Aventuras de Pi

Acertei. Não sei qual deles foi, mas o cara monopolizou o microfone, não deixou nenhum colega falar, e a orquestra teve que abafar seu interminável discurso com acordes da trilha de Tubarão. A câmera depois focou o rosto de Nicole Kidman, que se mostrou #xatiada com a atitude do sujeito. UPDATE: Revi totalmente minha opinião sobre o discurso depois de ler esse texto aqui.

MELHOR ANIMAÇÃO

Valente, de Mark Andrews e Brenda Chapman

Errei. Às vezes a Pixar ganha porque é a Pixar. Tanto Frankenweenie, quanto ParaNorman e principalmente Detona Ralph eram superiores a Valente.

MELHOR FILME EM LÍNGUA NÃO-INGLESA

Amor

Acertei. Ver Michael Haneke vencendo e agradecendo com aquele carregado sotaque alemão foi uma das coisas mais lindas da noite. Não sei como um velhinho tão fofo pode fazer filmes tão destruidores.

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Searching For Sugar Man

Acertei.

MELHOR CURTAMETRAGEM

Curfew

Acertei.

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

Paperman

Troquei minha aposta no último minuto por Head Over Heels e me arrependo. Errei.

MELHOR CURTA DOCUMENTÁRIO

Inocente

Todo mundo dizia Open Heart, mas Inocente levou. Errei.

Relação dos vencedores:

4 – As Aventuras de Pi (direção, fotografia, trilha sonora, efeitos visuais)

3 – Argo (filme, roteiro adaptado, montagem) | Os Miseráveis (atriz coadjuvante, maquiagem, mixagem de som)

2 – 007: Operação Skyfall (canção, edição de som) | Django Livre (ator coadjuvante, roteiro original) | Lincoln (ator, direção de arte)

1 – Amor (filme estrangeiro) | Anna Karenina (figurino) | Curfew (curta) | A Hora Mais Escura (edição de som) | Inocente (curta documentário) | O Lado Bom da Vida (atriz) | Paperman (curta de animação) | Searching For Sugar Man (documentário) | Valente (animação)

Como eu havia previsto, o maior vencedor da noite ficou com não mais do que quatro vitórias, e o melhor filme ficou com três. É, em 2013 eu fui um bom oscarologista. Que venha 2014!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: